A falta de dinheiro é um problema grave, que pode acometer pessoas de todas as classes sociais, mas atinge principalmente a população humilde

É como diz o ditado: o dinheiro não é problema, ele é a solução. Afinal, quem nunca esteve em uma situação de falta de dinheiro? Isso é muito comum, especialmente durante uma crise.

Posts Recentes

falta de dinheiro

Falta de dinheiro: quais são as formas de resolver?

A falta de dinheiro é um problema grave, que pode acometer pessoas de todas as classes sociais, mas atinge principalmente a população humilde, o que leva ao desespero e frustração. 

É muito comum que, no fim do mês, você não entenda o motivo de não sobrar nenhum valor. De maneira geral, a causa disso pode estar relacionada aos seus hábitos diários e a falta de planejamento financeiro

Quer saber mais? Veja aqui! 

falta de dinheiro

Falta de dinheiro – Conheça 5 soluções para sair do aperto: https://www.meuportalfinanceiro.com.br/falta-de-dinheiro/

Atitudes para evitar a falta de dinheiro mensal

Mensalmente, é comum que a maioria dos brasileiros se depararem com a mesma situação: a falta de dinheiro. De maneira geral, o motivo de não sobrar nenhum valor pode ter relação com seus hábitos ruins diários.

E, mesmo que seja frustrante olhar para a sua vida financeira, é necessário encarar para acabar com esse problema. Pois, quando você evita os problemas relacionados com a falta de dinheiro, a tendência é que eles piorem. 

Portanto, leve em consideração as seguintes atitudes para conseguir acabar com a falta de dinheiro!

1. Acompanhe as suas finanças

A maioria das pessoas acha que controla suas finanças pois tem todas as suas contas “na cabeça”. Mas especialistas afirmam que as pessoas que têm essa atitude não conseguem controlar, de fato, suas contas.

O primeiro passo para controlar a falta de dinheiro é anotar todas as suas despesas, sem deixar nenhuma de fora! Basicamente, todos os gastos que você fizer você deve anotar, seja compras de pão ou estabelecimentos. 

O primeiro mês que você faz isso é o mais importante. Pois, dessa maneira, você tem ideia de onde o seu dinheiro está sendo investido. A gravidade de suas finanças determina quais são seus gastos nos próximos meses.

2. Faça uma poupança de 10% de sua renda

Uma das primeiras soluções para controlar a sua vida financeira é: pague-se primeiro! Mas o que isso significa? É um percentual da sua renda mensal 

No final dos meses, lembre-se de guardar no mínimo 1 décimo de tudo que você recebe. Quando você segue esse hábito, aprende a poupar.

Depois de alguns meses, será possível perceber que o montante inicial, que antes era pequeno, logo se tornará uma renda emergencial.

3. Crie objetivos para seu futuro

Antes de criar a sua renda emergencial, você deve ter uma reserva para realizar seus sonhos. Seja para investir na casa própria, ingressar em um curso ou fazer alguma viagem, todos esses objetivos são importantes, principalmente para você começar a economizar.

Além disso, quando você tem esse objetivo, também pode escolher onde deseja guardar o valor para realizá-lo.

De acordo com pesquisas, cerca de 33% das pessoas entrevistadas poupavam dinheiro. E, dentre essas pessoas, 61% deixava seu dinheiro guardado na conta poupança. Mas a conta poupança não é a escolha ideal, principalmente se você deseja aplicá-la a longo prazo.

4. Comece a investir seu dinheiro

Você deve considerar investir para que a falta de dinheiro deixe a sua vida. Tenha em mente que deixar seu dinheiro em uma conta poupança não significa investimentos!

Comece guardando o seu dinheiro em uma conta digital, como a NuConta. Basicamente, trata-se de uma conta corrente gratuita do Nubank, que rende o seu dinheiro em até 100% do CDI. 

Além disso, existem mais opções de contas digitais que podem fazer esse trabalho para você, como o PicPay. E, assim como o Nubank, elas não têm nenhum custo. E, o melhor, rende muito mais do que uma conta poupança!

Caso tenha interesse em começar a investir seu dinheiro, comece pelo Tesouro Direto. Esse é um dos investimentos mais seguros disponíveis no mercado, além de garantir uma maior rentabilidade a longo prazo.

falta de dinheiro

5. Não considere dívidas como algo normal

Mesmo que nem todas as dívidas sejam algo necessariamente ruim, a maioria é a causa de sua falta de dinheiro e não devem ser consideradas normais. 

De acordo com especialistas, uma dívida boa é aquela que o consumidor refletiu com cuidado para fazer, além de fazer pesquisas e escolher a melhor forma de pagar. 

E, mesmo que esse cenário seja o ideal, a maioria dos consumidores faz dívidas sem necessidade alguma, sem conhecer as taxas de juros e sem nenhum planejamento para quitar a dívida. 

6. Não veja o seu cartão de crédito como renda extra

Se você tem um salário de R $5.000,00 mensais, mas acaba gastando R $6.000,00, essa é uma atitude considerada errada. Isso sem contar que, na maioria das vezes, essa dívida pode se tornar ainda maior. 

Quando você encara o seu cartão de crédito ou um cheque especial como renda extra, acaba ficando sem dinheiro quando realmente precisa. Portanto, evite essas atitudes no seu dia a dia. 

7. Não faça compras emocionais

Existem muitos consumidores que fazem compras emocionais, principalmente quando tiveram um dia extremamente ruim. 

Esses são investimentos realizados para relaxar as pessoas. E, mesmo que ofereçam esse sentimento, eles podem comprometer suas finanças a longo prazo. 

Antes de realizar compras por impulso e ficar frustrado pela falta de dinheiro, lembre-se que ter uma vida financeira saudável é seu objetivo. E, para evitar essas compras, uma simples atitude pode ajudar: não compre na hora.